quinta-feira, 22 de março de 2012

Ex-terrorista mulçumano lança livro sobre sua conversão

 
Um ex-terrorista islâmico e agora convertido ao Evangelho está lançando o livro “O Sangue do Cordeiro”, onde relata seu testemunho de vida e conversão.
Em entrevista à TV CBN, emissora de conteúdo cristão dos Estados Unidos, Kamal Saleem contou suas experiências como terrorista aliado de políticos como Saddam Hussein (ex-presidente iraquiano) e Yasser Arafat (ex-presidente da Autoridade Palestina), além de grupos terroristas, como a Irmandade Muçulmana.
Em seu testemunho, Saleem conta que quando era jovem foi recrutado para estudar nos Estados Unidos e ajudar a destruir o país de dentro de suas fronteiras. No entanto, ao chegar na América acabou se convertendo ao evangelho. Durante a entrevista Saleem explicou à CBN os ideais islâmicos usados para doutrinar os jovens muçulmanos e sobre os fatos mais marcantes de sua conversão.
Saleem contou ainda sobre a experiência espiritual que teve ao ouvir uma voz falando diretamente com ele: “Você é meu guerreiro, você não é o seu guerreiro”. Ao que Saleem respondeu: “Meu Senhor, meu Senhor eu vou viver e morrer por você”. Mas, para seu espanto, Deus respondeu que morrer para Ele era “desnecessário”.
Atualemente, Saleem atua no alertar sobre as ameaças da Jihad Islâmica, conhecida como “guerra santa”, praticada pelos muçulmanos, e que motiva os ataques terroristas.
Fonte: Gospel +

Cerca de 3.000 cristãos estão presos na Eritreia de maneira desumana


A Eritreia continua prendendo cristãos em containers de metal e também em prisões em condições desumanas por simplesmente professarem sua fé em Jesus. É possível que no momento tenham entre 2.000 ou 3.000 pessoas presas por serem membros de denominações não reconhecidas pelo governo.
Localizada na África, a Eritreia só foi incluída no relatório anual de Liberdade Religiosa Internacional, na Comissão dos Estados Unidos, no ano passado e agora figura na lista dos países que geram preocupação diante da discriminação e perseguição de cristãos.
A história mais marcante foi da cantora evangélica Helen Berhane que ficou mais de dois anos dentro de um container, vivendo em condições desumanas e sem direito a julgamento. Tudo porque ela se converteu e gravou um CD com músicas evangélicas, por esse motivo ela foi acusada de ser um “inimigo político” por propagar um discurso diferente do Estado.
Casos como o de Helen são difíceis de receberem interferência internacional, pois o país não tem processo judicial independente, ou seja, os cidadãos não podem, de maneira pacífica, organizar protestos. Outro fator que impede a ação é a falta de organizações nacionais que defendam os direitos humanos e como se não bastasse a imprensa não tem liberdade de expressão.
A agência de notícias Christian Solidarity Worldwide (CSW) afirma que os cristãos sofrem muita perseguição e quando são presos ficam trancados em ambientes quentes e insalubres, sofrendo privações e torturas.
Entre as igrejas cristãs que não são autorizadas pelo governo da Eritreia a prestar cultos livremente está a Igreja Adventista do Sétimo Dia, além de muitas outras que foram banidas pelo Estado. Mesmo assim 47% da população se declara cristã e 49% são muçulmanos.

Com informações Portas Abertas

Católicos voltam a distribuir panfletos contra o PT em SP e pedindo a saída de Eleonora Menicucci favorável ao aborto